Pesquisar este blog

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Vou-me embora pra Arquibancada - Homenagem a Manoel Bandeira

Por ROBERTO VIEIRA*

Vou-me embora pra Arquibancada
Lá sou amigo do Rei
Lá tenho o futebol que eu quero
No estádio que escolherei
Vou-me embora pra Arquibancada


Vou-me embora pra Arquibancada
Aqui eu não sou feliz
Lá o drible é uma aventura
De tal modo inconseqüente
Que Garrincha algoz da Espanha
Senhor do tempo inclemente
Vem a ser contraparente
Do genro que nunca tive

E como farei mil gols
Leônidas e bicicleta
Zagueiros por meus escravos
Subirei no pau-de-sebo
Tomarei banhos de mar!

E quando estiver cansado
Deito na arquibancada
Mando chamar Mário Filho
Pra me contar as histórias
Que no tempo de eu menino
Nelson vinha me contar

Vou-me embora pra Arquibancada
Na Arquibancada tem tudo

É outra civilização
Tem um processo seguro
De impedir segunda divisão
Tem gol de placa automático
Tem chopp gelado à vontade
Tem cheerleaders bonitas
Para a gente namorar

E quando eu estiver mais triste
Mas triste de não ter jeito
Quando de noite me der
Vontade de me matar— Lá sou amigo do Rei —
Terei o troféu que eu quero
No estádio que escolherei
Vou-me embora pra Arquibancada.

* Homenagem a Manoel Bandeira que foi embora pra Pasárgada há 40 anos...

Fonte: Blog do Juca.

Nenhum comentário: