Pesquisar este blog

quinta-feira, 5 de março de 2009

RELIGIÃO - Excomunhão

Uma menina de 9 anos em Pernambuco foi estuprada pelo padastro e engravidou de gêmeos. O crime foi descoberto num exame médico na semana passada. Flagrado, o rapaz confessou e alegou que a menina o "provocava". Uma equipe médica então avaliou que ela corria risco de vida ou de perder para sempre a fertilidade e decidiu pelo aborto legal. O procedimento foi realizado ontem com sucesso e a menina passa bem. No mesmo dia, enquanto a criança se recuperava no hospital, o arcebispo de Olinda e Recife, José Cardoso Sobrinho, resolveu por bem excomungar toda a equipe médica e a mãe de vítima. Como é muito misericordioso, não fez nenhuma condenação ao estuprador pedófilo, numa clara demonstração de qual lado ele escolheu.

Fiquei tão irritado que resolvi tomar uma providência drástica. Como a liberdade religiosa está garantida no Brasil, fundei minha própria religião, que batizo agora de Mussumismo. Pela minha religião, deus vive numa casa com varanda em Vênus e vem à Terra uma vez a cada 12 345 anos encarnado no corpo de um humano. Sua última vinda se deu no século 20, na pele de um comediante negro apreciador de aguardentes, o que explica o nome que escolhi para a religião (nesses tempos de hoje, é preciso ser criativo quando se trata de novas igrejas).

Meu primeiro ato como líder supremo e infalível do Mussumismo é excomungar dom José Cardoso Sobrinho. Como pena, ele vai passar a eternidade no inferno, condenado a acordar todas às manhãs às 6:30 da manhã com um telefonema do telemarketing de uma empresa telefônica, sempre de ressaca, sem no entanto ter bebido na noite anterior. No inferno mussumista o único canal de TV é aquele que passa Big Brother 24 horas por dia e a trilha sonora, ininterrupta, é composta apenas de grandes sucessos dos anos 80 cantados no karaokê.

O mussumismo é uma religião muito inovadora, e por isso estamos introduzindo no mundo da fé os cartões amarelos, tão bem sucedidos no futebol. Meu segundo ato como líder vitalício e misericordioso do mussumismo é aplicar um cartão amarelo no papa Bento 16, retratado na foto acima. Atenção, papa, mais uma dessas que a sua igreja aprontar, excomungo você também.


Nenhum comentário: