Pesquisar este blog

segunda-feira, 21 de julho de 2008

Maravilhosa Graça.


Fonte: Editora Vida.

Falamos da graça com freqüência, mas será que a entendemos? Será que realmente cremos nela? Em Maravilhosa graça, Philip Yancey discute por que os cristãos, chamados para espargir o aroma da graça, preferem emitir a fumaça cancerígena da ausência de graça.

Para o autor, é preciso responder qual é a aparência de um cristão cheio de graça, em oposição à ausência de graça que “opera como um pano de fundo estático ao longo da vida das famílias, das nações e das instituições. Ela é, infelizmente, nosso estado humano natural!”.

Em seu livro mais pessoal e provocativo, Yancey oferece retratos fortes e verdadeiros da vida sob a graça — o poder que transforma. Para os abismos resultantes da ausência de graça, há apenas um remédio do qual dependem o cristão e a igreja. Descubra como lidar graciosamente com questões controversas que ameaçam tudo aquilo que nós — cristãos — consideramos caro!

Yancey mexe na ferida da igreja - ou em uma delas - quando relata o caso da prostituta que, passando por dificuldades é convidada a ir a uma igreja cristã evangélica para obter ajuda, e a mesma retruca dizendo: "Ir lá? Para quê? Para me sentir pior do que realmente estou?" (é mais ou menos assim) Nós cristãos, principalmente os evangélicos, cometemos o pecado de acharmos que somos melhores que os outros, em todos os sentidos. O pecado da iniqüidade.

Nenhum comentário: