Pesquisar este blog

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Tristimunho

A voz de Deus salvou do voo 447 da Air France o pastor missionário da Assembleia de Deus em Paris, Gláucio Oliveira, 29 anos. O religioso já tinha reservado um lugar no avião que caiu no Oceano Atlântico, quando recebeu, na última quinta-feira, uma ‘ordem’ para não prosseguir com a viagem. O recado foi dado por uma amiga. Jussara Gonçalvez, 37 anos, participava de um grupo de orações e foi chamada pela colega Renata Carnevale, 30, que dizia ter recebido uma mensagem do Senhor. “Não deixe o varão viajar, a cova dele está aberta. Ele vai morrer”, afirmou Renata. Chorando muito, Jussara ligou na mesma hora para o pastor. Assustado, Gláucio não confirmou a reserva: “Eu ia de TAM no sábado, mas, desde que um amigo, também pastor, morreu num acidente da empresa, eu só voo de Air France, que considerava o melhor avião do mundo. Mas Deus me enviou a Renata, que recebeu a revelação de que, se eu entrasse naquele avião, minha cova estava aberta. Nós só nos vimos uma vez, ela nem sabia que eu ia viajar. Por isso, quando a Jussara me transmitiu a mensagem, fiquei apavorado. Orei a Deus e senti no coração que não devia ir. Ele foi fiel a mim, porque sempre lhe obedeci”. Renata, a mulher que salvou a vida do pastor, está de cama desde a manhã de segunda-feira, quando soube da queda do avião. Por telefone, ela confirmou ter recebido uma mensagem de Deus: “Não foi visão, eu apenas entreguei um recado do Senhor”

Fonte: Jornal Meio-Dia Edição de 3/06/2009 Via: Bereianos

Compartilho da mesma opinião do Ruy, do blog Bereianos. O pastor com cara de nerd (nada contra!), com a "Bíblia Pentecostal" numa mão, a passagem na outra e o sorriso de quem ganhou sozinho na Mega-Sena, é a cara do mundo-cão gospel. Acredito que sem dúvida, Deus o livrou dessa tragédia. Os propósitos só Ele sabe. Mas essa reação extravagante do menino aí da foto é o oposto do que se esperaria de alguém com o status que possui na igreja. Essa matéria e a foto podem ser considerados uma falta de compaixão para com as famílias das vítimas da tragédia. Só fomenta a aversão e o ódio aos cristãos crentes, por claramente trepudiar com esses testemunhos sobre o sofrimento alheio, promovendo a odiosa categorização entre os "filhinhos-de-papai" de Deus e o resto das pessoas, o que absolutamente não é verdade. Muitos vão chiar chamando-me de incrédulo, que não conheço os mistérios de Deus, mandando me converter, e tudo mais... até confesso que preciso mesmo de lapidação em muitas coisas (quem é obra acabada d´Ele neste mundo?), mas não perdi a compaixão pelos que sofrem, e a atitude do sujeito ai em cima na foto em nada lembra o equilíbrio e a misericórdia que deveriam marcar a diferença entre os discípulos de Cristo e aqueles que seguem o curso deste mundo. Ainda mais sendo um pastor e missionário...

Postado por Eliézer às 12:00 AM 31 comentários (comentário no Pavablog, sugiro que leiam os outros).

O evangelho pregado hoje é o da individualidade. Infelizmente, o amar ao próximo se restringe ao grupo que professa a mesma fé. Na antiguidade, os "diferentes" eram chamados de "bárbaros" (pelos gregos, aos que não eram gregos; pelos romanos, aos que não eram romanos; pelos cristãos, aos que não eram cristãos), "gentios" (pelos judeus, aos que não eram judeus), e não eram vistos como seres humanos passíveis de respeito. Estamos “regredindo” nesse ponto, mais uma vez, infelizmente...

Nenhum comentário: