Pesquisar este blog

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Por que a religiosidade teme a Teologia? - Fragmento.


A grande arma da religião contra o ser humano é a proibição do pensar - a idade média e o clero são minhas testemunhas. Com medo dos frutos percebidos, oriundos de uma relação “singela” com Deus, a idéia religiosa é: pensar a fé é atitude de incrédulo, cabe ao seguidor apenas obedecer.

(...)

Alguns dizem que todos podem pensar, mas, deve-se obedecer aos limites e outros são mais radicais ao dizer que a fé não pode ser pensada apenas “experimentada”.

Pressupõe-se que fé é acreditar naquilo que se entende por verdadeiro, por exemplo: creio em Cristo, pois acredito ser Ele o Filho de Deus e salvador da humanidade. Ora, como podemos saber, ou ao menos crer naquilo que é verdadeiro, se não pelo viés da cognição (conhecimento). Mas, como nasce o conhecimento? Há apenas duas respostas, ou melhor, uma resposta composta por dois elementos: Experiência e raciocínio. Toda experiência deve ser raciocinada, tão logo, todo raciocínio deve, de preferência, ser experimentado. Já dizia Jesus: “Conhecereis (raciocínio) a Verdade e a verdade vos libertará (experiência)”. (Evangelho de João, capítulo 8, versículo 32).

Um grande problema do homem é que ele, como um ser dotado de sentidos, e pós - modernamente falando, um ser altamente sentimental, prefere o sentir em detrimento do pensar - o caminho dos sentidos é mais benéfico, mais gratificante, ou seja, um caminho mais fácil para se alcançar um objetivo (...)

Por que a religião teme o conhecimento e/ou Por que a teologia é tão agredida pela religiosidade? A resposta é simples e inteligente, porque ela, a religião, é um produto humano, portanto, melhor é sentir, ou ao menos, fingir que se pensa, do que realmente pensar.
Texto completo no Blog Celebraii.

Um comentário:

celebraii disse...

Olá, graça, paz e bem!

Muito obrigado pela visita ao Celebrai!, gostei do seu blog, estou te adicionando à minha lista. Se preferir, faça o mesmo!

Forte abraço!