Pesquisar este blog

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Caçula entre os grandes campeões, São Paulo se consolida como o mais vitorioso


Com 73 anos de existência, Tricolor Paulista supera outros clubes que são centenários e se torna recordista absoluto em títulos brasileiros

Rafael Cardoso
São Paulo, em 07/12/08.

Alguns ditados populares parecem nunca envelhecer e ter aplicação prática em várias situações. É o caso daquele que diz: “os últimos serão os primeiros”. No futebol brasileiro, o São Paulo Futebol Clube é a maior prova de que a frase tem fundamento. O clube paulista foi o último entre todos os campeões brasileiros a surgir para o futebol - fundado oficialmente em 16 de dezembro de 1935. E se consolidou neste domingo como o time que mais títulos conquistou na história do Campeonato Nacional.

Dezessete times já se consagraram no posto mais alto do Brasileirão desde que o torneio foi criado, em 1971. Deste seleto grupo, os clubes mais antigos são Flamengo (1895) e Vasco (1898). Os demais rivais paulistas também surgiram em décadas anteriores ao Tricolor: Corinthians (1910), Santos (1912) e Palmeiras (1914). Os "jovens" Bahia (1931) e Atlético-PR (1924) são os que mais se aproximam da idade são-paulina. O hexacampeonato do Tricolor Paulista, além de ser inédito na história da competição, premia os 73 anos de um caçula que se acostumou a ganhar títulos.

Antes da fundação, uma certa confusão

Apesar de ter sido oficialmente fundado em 1935, o São Paulo tem raízes anteriores. Em 1900, surgiu o Clube Atlético Paulistano. Liderado em campo por ninguém menos que Arthur Friedenreich (primeiro grande craque do futebol brasileiro), o Paulistano conquistou os principais títulos do início do século XX. Firme aos seus princípios contrários à profissionalização do futebol, o clube decidiu fechar o departamento de futebol na década de 20. Pelos mesmos motivos, outro clube paulista teve o mesmo fim no período: a Associação Atlética das Palmeiras.

Para os torcedores órfãos destes dois times, surgiu uma alternativa em 1930. O Paulistano se uniu à A.A. Palmeiras e fundou o São Paulo da Floresta. Quando parecia que o novo clube enfim engrenaria, problemas financeiros comprometeram a administração e a evolução do futebol. O clube teve vida curta e foi extinto em 1935. Porém, vários dirigentes não se conformaram com a situação e no final do mesmo ano reuniram forças e paixão pelo futebol para criar o São Paulo Futebol Clube.

Potência paulista nos anos 40, apagão nas décadas de 50 e 60

Para fazer jus ao trecho do seu hino, "Tu és forte, tu és grande / Dentre os grandes és o primeiro", o Tricolor tratou de impor respeito aos demais times. Nada melhor do que começar essa missão em território local contra os seus grandes rivais. Nos anos 40, foram cinco títulos estaduais em dez campeonatos disputados. O primeiro deles, em 1943, foi o grande cartão de visitas, pois interrompeu uma tradicional dobradinha de Palestra Itália (futuro Palmeiras) e Corinthians. Depois viriam outras conquistas em 1945, 1946, 1948 e 1949.

O grande nome do time no período foi Leônidas da Silva. Contratado em 1942 junto ao Flamengo em uma transação milionária, o "Diamante Negro" consolidou-se como o craque do time, repetindo as belas atuações realizadas com a camisa da seleção brasileira nas Copas de 34 e 38. E ficou imortalizado na história do clube. Tanto que tem espaço de destaque no memorial do clube, localizado no Morumbi. O local apresenta uma imagem gigante de Leônidas aplicando uma bicicleta, jogada cuja invenção é atribuída ao atacante.

Já as décadas de 50 e 60 foram marcadas por poucas conquistas para o São Paulo. O clube foi campeão paulista em 1953 e 57 - neste último comandado pelo já veterano Zizinho, craque da Copa de 50 -, para depois amargar um jejum de 13 anos sem títulos, o maior de sua história.

Além do poderio do Santos, que, com Pelé e companhia, foi o grande papão de troféus do período, o período de vacas magras do Tricolor também aconteceu porque o clube preferiu concentrar forças e recursos na construção do estádio Cícero Pompeu de Toledo, o Morumbi, inaugurado em 2 de outubro de 1960. Dez anos depois, o anel das arquibancadas foi concluído, quando o clube conquistou o primeiro título importante após tantos anos de decepções - o Paulista de 70, contando com o tricampeão mundial Gérson em campo. O clube se reerguia, mirando agora conquistas maiores do que as regionais.

Brasileiros, Libertadores e Mundiais: conquistando o Brasil e o planeta

A partir da década de 70, o São Paulo começou a mostrar mais força tanto no âmbito nacional quanto internacional. Logo na primeira edição do Brasileirão, em 1971, o time ficou em segundo lugar, atrás apenas do Atlético-MG. Em 1973, novamente o vice-campeonato, abaixo do Palmeiras. Finalmente, em 77, o primeiro título nacional, conquistado nos pênaltis contra o Atlético-MG, após um 0 a 0 no tempo normal. Em 1986, com um time recheado de craques (Careca, Müller, Silas, Pitta) mais uma conquista e novamente nos pênaltis. Desta vez o adversário foi o Guarani.

O início da década de 90 marcou o início da Era Telê Santana. Logo em 1991, veio o terceiro título nacional contra o Bragantino de Carlos Alberto Parreira. Em 1992 e 1993, o Tricolor mostrou seu poderio em terras estrangeiras: foi bicampeão da Taça Libertadores e do Mundial Interclubes, derrotando dois gigantes do futebol europeu - Barcelona e Milan.

Após a saída de Telê por motivos de saúde, o time encarou um período sem conquistas mais expressivas. Boas campanhas acabavam sem o troféu. O ano de 2005 marca uma nova arrancada na história do clube. Sob o comando de Paulo Autuori, o Tricolor conquistou pela terceira vez a Libertadores e o Mundial, derrotando nas decisões Atlético-PR e Liverpool, respectivamente.

No início de 2006, Muricy Ramalho, ex-jogador do clube e auxiliar de Telê, assumi o clube. O treinador, se não conseguiu vencer uma competição internacional, liderou o time são-paulino a três títulos brasileiros seguidos (2006, 2007 e 2008). Feito inédito na história da competição. Com um currículo que inclui o hexacampeonato nacional, tricampeonato da Libertadores e do Mundial, o São Paulo se consolida como o time mais vencedor do futebol brasileiro.

Fonte: GloboEsporte.com.

Nenhum comentário: